Japão: Relações comerciais com Portugal e Oportunidades de Negócio 2016

As relações comerciais entre Portugal e o Japão têm sido desfavoráveis ao nosso país, com uma acumulação de sucessivos saldos negativos ao longo da última década. O último ano não foi excepção. Totalizando 271,3 milhões de euros, as importações ultrapassaram em muito as exportações nacionais que se ficaram pelos 146,3 milhões de euros. Ainda assim, será de sublinhar que estes valores representam uma subida das exportações na ordem dos 17,5% face aos valores de 2014, contra um aumento de apenas 7,2% das importações.

 

Mas os dados relativos ao primeiro semestre de 2016 mostram o retorno à tendência de maior peso das importações do que das exportações com estas a diminuírem 13,2% face a período homólogo de 2015, e aquelas a aumentarem 23% no mesmo período considerado. Na mesma linha se entende a 24ª posição do Japão no ranking de fornecedores de Portugal (cota de 0,54%), comparada com a 37ª posição enquanto cliente (cota de 0,27%). Assim é, independentemente do aumento no número de empresas portuguesas exportadoras para o mercado nipónico de 678 em 2007 para 866 em 2015.

 

Mas talvez o mais interessante seja verificar a variação absoluta das taxas de crescimento tanto das exportações como das importações que, de 2007 para 2015, se situaram nos -51% e -52,5% respectivamente, daqui se concluindo por um abrandamento geral das relações comerciais entre os dois países. Tais relações muito beneficiariam, de facto, da conclusão do acordo de parceria entre a UE e o Japão até recentemente previsto para o final de 2016.

 

Não obstante persistem nichos de oportunidade de negócio a explorar que devem ser monitorizados pelas empresas portuguesas. Para além dos produtos alimentares, máquinas e aparelhos, produtos químicos e calçado, que lideraram as exportações nacionais para o Japão em 2015, serão de sublinhar as oportunidades de crescimento das nossas exportações tratando-se de combustíveis minerais, plásticos e borrachas, produtos agrícolas e metais comuns. Dados relativos aos primeiros seis meses deste ano revelam maior dinamismo nas exportações de peles e couros, instrumentos de óptica e precisão, veículos e outros materiais de transporte e pastas celulósicas e papel, podendo também aqui encontrar-se oportunidades de negócio a explorar.

 

Overview

Enquadramento Económico

Ser Associado da Câmara de Comércio significa fazer parte de uma instituição que foi pioneira do associativismo em Portugal.

 

Os nossos Associados dispõem do acesso, em exclusividade, a um conjunto de ferramentas facilitadoras da gestão e organização das respectivas empresas.