Que necessidades temos? O que é que valorizamos mais agora e no futuro? Que serviços e produtos vamos adquirir? Como o vamos fazer?

Nunca, como hoje, existiram tantas soluções para dar resposta a estas questões. Temos cada vez mais empresas a disponibilizar serviços de cuidados de saúde e na área social, bem como a disponibilizar seguros e modelos de proteção que nos ajudam a gerir os riscos do presente e a prepararmo-nos para enfrentar uma boa parte dos riscos que iremos enfrentar no futuro.

Estar consciente da necessidade de investir em soluções de previdência implica, entre outras coisas, estar informado, saber como é que se pretende enfrentar os riscos e desafios a que todos estamos sujeitos, agora e sobretudo na fase final da nossa vida. Não menos importante, deveremos reflectir estas prioridades no nosso orçamento anual, assegurando assim um bom nível de poupança e rendimento futuro, e garantir, caso aconteça uma fatalidade, o cumprimento das principais responsabilidades que assumimos em vida. Este investimento no futuro deverá ainda permitir aceder a serviços de qualidade na área da saúde e dos acidentes, com capitais e coberturas adequadas às nossas necessidades, entre outras soluções.

Porque a fiscalidade assume cada vez mais um importante custo e papel no nosso orçamento, deveremos ter também a preocupação do nível de optimização fiscal que poderemos conseguir mediante as escolhas e tipo de produtos que decidimos adquirir.

Felizmente, sobretudo nos últimos 15 anos, este tipo de preocupação tem vindo a crescer - e não apenas no plano individual. As empresas, nomeadamente com as políticas de benefícios que têm criado e implementado, têm constituído um forte incentivo e contributo para o desenvolvimento de soluções e mudança cultural nos cidadãos. Os seguros são cada vez mais factores críticos de sucesso na política de recursos humanos das empresas e na atribuição e/ou disponibilização de pacotes de benefícios. Actualmente existe uma crescente e clara percepção clara do seu valor, tanto ao nível da componente indemnizatória, como no que diz respeito à prestação de serviços e acompanhamento das pessoas ao longo da vida, na saúde e na doença, na vida e na reforma, no nascimento e na morte.

A MDS, seja através das suas áreas de especialização ou da sua participada Flexben, dedica-se à construção e implementação de soluções customizadas de programas de benefícios para colaboradores, ajudando as empresas e, em particular os gestores de Recursos Humanos, a responder aos crescentes desafios ao nível da retenção e gestão de talentos, bem como na otimização fiscal.

Um plano de benefícios adequado transmite uma atitude mais positiva e responsável da empresa junto dos seus colaboradores, inclusive reforçando o seu papel social, bem como aumenta os níveis de motivação, satisfação e produtividade dos colaboradores. Contribui para a melhoria do bem-estar individual, do respectivo agregado familiar, e para o sucesso de recrutamento e retenção de profissionais qualificados, conferindo acesso a diversos benefícios fiscais, tanto à empresa como aos seus colaboradores.

Mário Vinhas
Deputy Executive Diretor | MDS

Ser Associado da Câmara de Comércio significa fazer parte de uma instituição que foi pioneira do associativismo em Portugal.

 

Os nossos Associados dispõem do acesso, em exclusividade, a um conjunto de ferramentas facilitadoras da gestão e organização das respectivas empresas.