Nigéria - Enquadramento Económico

Apesar dos problemas anteriormente mencionados, o país está em franco crescimento e diversos analistas referem que, caso se verifiquem as reformas e investimentos adequados, em 2030 a economia nigeriana poderá ser uma das principais a nível mundial.

 

Para esta situação muito contribuíram as reformas que têm vindo a ser efectuadas desde que os civis chegaram ao poder e a democracia foi instaurada. Estas incidiram muito particularmente na necessidade de promover a diversificação da economia, reduzindo a dependência das exportações do petróleo e gás natural. De referir que as exportações de petróleo representam 85% das exportações de bens do país, pelo que a actual quebra dos preços poderá ter repercussões muito negativas (9º produtor mundial de petróleo). Acresce que este ano os EUA não importaram petróleo da Nigéria, o que poderia ter tido um grande impacto na sua economia, não fosse o facto de terem encontrado mercados alternativos, nomeadamente na Europa e Ásia.

 

Hoje, a economia do país assenta também muito na agricultura (cujos resultados poderão duplicar no espaço de 15 anos) e na indústria manufactureira que abastece uma boa parte dos países da África Ocidental, a par de um poderosíssimo sector das telecomunicações e de uma lucrativa indústria de entretenimento – música e cinema – que alcançam todo o continente. A indústria do cimento tem também vindo a crescer, acompanhando o crescimento do sector da construção.

 

Fruto dos investimentos internos nesta diversificação da economia, que tem ainda de ser aprofundada, o país apresenta bons resultados macroeconómicos, com uma importante descida do nível de endividamento que agora representa menos de 10% da riqueza do país. A inflação este ano deverá situar-se em torno dos 8,3%, valor que em 2015 deverá crescer para 9% para depois iniciar a sua descida nos anos seguintes. A taxa de juro do banco central está nos 12%. 

 

Nos últimos anos, o PIB tem crescido a uma média de 7%, o que deverá continuar a acontecer nos próximos anos.

 

Este bom momento que o país atravessa no que diz respeito aos indicadores económicos é, contudo, contrariado pelos níveis de pobreza e de desemprego, pelas muito deficientes condições sanitárias e por uma necessidade urgente de grandes investimentos em infraestruturas.
Será certamente um tema que estará presente nas próximas eleições nacionais e estaduais, marcadas para Fevereiro de 2015 e onde se espera uma subida significativa dos votos na oposição. Tradicionalmente estes períodos eleitorais têm-se caracterizado por alguma instabilidade, o que se prevê que também possa acontecer no próximo ano.

 

A Nigéria, ocupando o lugar de maior economia africana, está colocada na 170ª posição (entre 189 países) no ranking do Doing Business Report e em 129 lugar no índice de liberdade económica da Heritage Foundation. O nível de risco de crédito é de 5 (sendo 1 o menor e 7 o maior).

 

Segundo o "2014 Industry Report" local, os sectores que serão responsáveis pelo crescimento económico e pela criação de emprego, para além dos já referidos petróleo, gás e telecomunicações, serão a agricultura, o imobiliário, a electricidade e as indústrias automóvel e alimentar. Contudo, é importante que este crescimento económico se traduza num verdadeiro instrumento de desenvolvimento, sem o qual o país não poderá dar o salto para a modernidade, sobretudo em termos sociais.

 

Enquadramento Económico

FIND OUT MORE ABOUT OUR SERVICES!

 

For further informations contact us.

Media