Malásia: Relações com Portugal e oportunidades de negócio

O crescimento progressivo do número de empresas exportadoras para a Malásia – de 112 em 2010 para 236 em 2014 – demonstra o cada vez maior interesse que este mercado desperta nos operadores portugueses. Porém, estes valores não são ainda suficientes para alterar o saldo da balança comercial tradicionalmente negativo para Portugal. O maior relevo da Malásia enquanto nosso fornecedor, 61º lugar nos primeiros três meses de 2016, do que enquanto cliente, 86º lugar no mesmo período, é disto um claro reflexo. De notar, porém, que em 2015 – ano em que as nossas exportações atingiram os 15,9 milhões de euros e as importações 53,9 milhões – a balança comercial apresentou o saldo menos desfavorável ao nosso país nos últimos cinco anos. Face aos valores de 2014, as exportações nacionais com destino à Malásia aumentaram 22,3%, ao passo que as importações diminuíram quase 52%.

É certo que o primeiro trimestre de 2016 mostra um abrandamento das relações comerciais entre Portugal e a Malásia, patente numa descida das exportações nacionais e das importações quando comparadas a igual período de 2015. No entanto, são vários os indicadores macroeconómicos e demográficos que sugerem uma tendência de crescimento e afirmação deste mercado em transformação com oportunidades a explorar e tal não deverá passar despercebido às empresas portuguesas com estratégias de internacionalização orientadas para o sudeste asiático.

Se em 2015 as nossas exportações para a Malásia foram lideradas pelos plásticos e borrachas (30,1%), máquinas e aparelhos (29,5%) e a longa distância as pastas celulósicas e papel (9,6%) e metais comuns, os primeiros meses de 2016 mostram um potencial de crescimento especial tratando-se das exportações de produtos químicos, veículos e outros materiais de transporte, madeira, cortiça e produtos alimentares. Para além destes também os sectores da moda (vestuário e calçado), dos têxteis, dos vidros e cristais, deverão ser foco de atenção para empresas portugueses.

Em 2015 as compras da Malásia ao exterior foram lideradas pelas importações de equipamento eléctrico e electrónico, substâncias e produtos químicos, produtos petrolíferos, máquinas, aparelhos mecânicos e suas partes e obras de metal. Esta estrutura de importações manteve-se nos primeiros quatro meses de 2016, embora com particular realce para o equipamento eléctrico e electrónico com valores de importação bem distantes de todos os outros. De qualquer forma, todos estes constituem grupos de produtos onde as necessidades de importação mais se fazem sentir, podendo aqui existir oportunidades a explorar.

Para dar a conhecer o ambiente de negócios e as oportunidades para as empresas portuguesas no mercado malaio, a Câmara de Comércio vai organizar o seminário Exportar & Investir: Malásia, no próximo dia 20 de Setembro. Confirme o seu interesse no mercado malaio, através do e-mail internacional@ccip.pt e seja o primeiro a receber o programa deste seminário!

 

Overview
Enquadramento Económico

Ser Associado da Câmara de Comércio significa fazer parte de uma instituição que foi pioneira do associativismo em Portugal.

 

Os nossos Associados dispõem do acesso, em exclusividade, a um conjunto de ferramentas facilitadoras da gestão e organização das respectivas empresas.