Índia: Enquadramento económico

startups indiaA economia indiana atravessa um momento de grande dinamismo, com milhares de start-ups a serem criadas por jovens empreendedores, em diversas áreas tecnológicas e com grande impacto social. A existência de uma população jovem constitui também um incentivo para o desenvolvimento de áreas como a tecnologia e a moda, entre outras.

Por outro lado, o governo incentiva o desenvolvimento de uma indústria virada sobretudo para a exportação, ao mesmo tempo que tudo faz para atrair o investimento estrangeiro. A economia indiana, antes muito virada para o mercado interno (calcula-se que 60% do PIB tenha origem no consumo interno), começa agora a olhar cada vez mais para o exterior e a reclamar o seu lugar de primeiro plano no comércio internacional de bens e serviços. Ao mesmo tempo, há uma grande aposta na indústria (que hoje representa apenas 15% do PIB, mas que se pretende que atinja os 25% nos tempos mais próximos) que se traduzirá na criação de numerosos postos de trabalho e sem a qual as tensões sociais serão inevitáveis no futuro.

Os dados estatísticos não tem sido, até agora, os mais favoráveis, com o Doing Business Report de 2015 a atribuir à Índia a 142ª posição entre 189 países e o Global Competitiveness Report 2014-2015 a colocá-la no 71º lugar entre 144 países. O risco de crédito é de 3 (sendo o menor 1 e o maior 7).

A Heritage Foundation, no seu índice de liberdade económica, colocou-a no 120º lugar entre 165 países.

O PIB, que tem vindo a crescer de forma modesta atendendo ao potencial do país, poderá ter este ano uma boa recuperação, caso se confirmem as previsões em torno dos 6%. E as perspectivas são optimistas quanto ao futuro, esperando-se que essa taxa venha a aumentar. A inflação prevê-se que desça também para valores rondando os 8,4%, pelo que o banco central poderá cortar os juros e, dessa forma, criar um clima geral de maior confiança.

Por outro lado, a rupia, que atravessou períodos bastante complicados, encontra-se hoje estabilizada e a valorizar-se em relação ao dólar.

 

 

ENQUADRAMENTO ECONÓMICO

 

 

 

Ser Associado da Câmara de Comércio significa fazer parte de uma instituição que foi pioneira do associativismo em Portugal.

 

Os nossos Associados dispõem do acesso, em exclusividade, a um conjunto de ferramentas facilitadoras da gestão e organização das respectivas empresas.