Nigéria - Overview

A Nigéria tem andado nas bocas do mundo pelos mais diversos motivos.

 

Antes de mais, devido ao anúncio de que a economia nigeriana passa a ocupar o lugar, antes preenchido pela África do Sul, de primeira economia africana, facto que se deve à actualização das estruturas de cálculo da actividade económica que não era feita desde a década de 90. Em segundo lugar, graças ao facto dos resultados económicos demonstrarem uma maior diversificação da sua economia e a consequente diminuição da dependência da exportação do petróleo e gás natural. Finalmente, porque diversos analistas consideram já a Nigéria como uma das novas economias emergentes, tendo sido até cunhado o nome de MINT – México, Indonésia, Nigéria e Turquia – para designar as novas potências económicas que se irão juntar aos BRIC. De facto, a Nigéria tem tudo para que isso aconteça: uma população de 170 milhões de habitantes, recursos e uma posição geográfica invejável, no centro de África e virada para o Atlântico e para o continente americano.

 

A referida actualização dos números referentes à actividade económica levou a uma revisão do PIB de 292 mil milhões de dólares para 510 mil milhões de dólares, o que coloca a economia nigeriana muito à frente da sul-africana, mesmo que tenhamos de ter em conta que, apesar destes resultados, a sua população continua com um poder de compra menor relativamente à África do Sul.

 

Contudo, a prova de que as coisas estão mesmo a mudar é o facto de que a economia do país, embora continuando muito dependente das exportações de petróleo e gás natural, começa a apresentar um bom nível de diversificação em sectores importantes como a agricultura, as tecnologias de comunicação e informação (120 milhões de utilizadores de telemóveis), o comércio e os serviços e uma indústria cinematográfica que é já a terceira a nível mundial (logo a seguir aos EUA e Índia). É importante que assim seja, dado que as receitas com o petróleo têm vindo a ser muito afectadas pela diminuição da produção, pelos roubos e pela descida dos preços do petróleo.

 

A Nigéria enfrenta, no entanto, problemas que afectam a percepção que dela têm os outros países e sobretudo as grandes empresas investidoras internacionais. Sem segurança e sem estabilidade é difícil atrair o investimento directo estrangeiro e a verdade é que no país existem alguns focos de instabilidade, nomeadamente na zona petrolífera por excelência, em torno do delta do Níger e no norte do país. Conscientes disto mesmo, as autoridades têm já adoptado algumas políticas para cessar a violência que se tem verificado nestas zonas.

 

A esta instabilidade vem juntar-se o problema da deficiente distribuição da riqueza, que faz com que grande parte da sua população viva com menos de um dólar por dia, calculando-se que 40% da mesma esteja abaixo do limiar da pobreza. Alguns indicadores, contudo, apontam para que esta situação esteja a melhorar, embora lentamente.

 

Overview

Ser Associado da Câmara de Comércio significa fazer parte de uma instituição que foi pioneira do associativismo em Portugal.

 

Os nossos Associados dispõem do acesso, em exclusividade, a um conjunto de ferramentas facilitadoras da gestão e organização das respectivas empresas.