Polónia - Enquadramento Económico

A economia polaca é a sexta maior na União Europeia, muito beneficiando da sua vizinhança com a Alemanha que para aí deslocalizou parte da sua capacidade exportadora.

 

Os benefícios são grandes para ambas as partes, já que a Alemanha encontra neste mercado uma capacidade de produção a baixo custo e de muita qualidade, enquanto a Polónia vê a sua economia crescer e basear-se numa grande capacidade exportadora.

 

A Polónia é também uma plataforma muito importante para a internacionalização de muitas empresas oriundas de diversos países europeus com destino aos mercados vizinhos da Ucrânia, Países Bálticos, Rússia e Bielorrússia.

 

O modelo de desenvolvimento da Polónia apresenta, no entanto, alguns desafios que urge enfrentar: o seu excelente desempenho económico está muito baseado nesta capacidade de oferecer uma mão-de-obra altamente qualificada a baixo custo. Contudo, este trunfo irá tendencialmente desaparecer, dado que, fruto dos bons resultados económicos e do crescimento que se tem verificado e que se espera irá continuar no futuro, a sua população tem esperança numa melhoria das condições de vida, pelo que o país não poderá continuar indefinidamente a oferecer os baixos custos de mão-de-obra que têm sido uma das suas características mais atractivas. É, assim, previsível que o actual modelo venha a evoluir para uma produção mais baseada em produtos de alta tecnologia, onde a preparação dos seus trabalhadores será mais valorizada.

 

Para que este salto tecnológico se verifique, o país terá de apostar mais no investimento em investigação e desenvolvimento, aproveitando a aposta que tem sido feita na educação.

 

Os dados da economia polaca são francamente positivos, como atestam a 43ª posição entre 144 países reconhecida pelo Global Competitiveness Report 2014-2015 e a 32ª posição no Doing Business Report 2015. Já a Cosec atribui um nível de risco 2, bastante baixo e a Heritage Foundation, no seu Index of Economic Freedom coloca-a em 57º lugar.

 

Como já referido, a economia polaca foi a única que apresentou sempre um crescimento económico acima das taxas médias da União Europeia, mesmo durante a crise, tendo o crescimento do PIB sido em 2010 de 3,9%, em 2011 de 4,5%, em 2012 de 2,0% e em 2013 de 1,6%. As previsões para 2014 apontam para um crescimento de 2,7% e para 2015 de 3,1%. A inflação no mesmo período foi de 2,7% em 2010, 4,2% em 2011, 3,7% em 2012 e 1,2% em 2013. Para 2014, as projecções são de 0,8%.

 

O desemprego atingiu em 2013 os 10,4%, um número que é considerado alto e que apresenta grandes disparidades entre o leste e o oeste. Este será, aliás, um dos desafios para o actual Governo da Polónia, ainda que se tenha verificado uma diminuição da natalidade e terem começado a surgir empresas que se queixam de não encontrar trabalhadores em número suficiente.

 

Apesar de a economia polaca estar a recuperar, a par do que acontece na União Europeia, a verdade é que está ainda muito dependente dos seus clientes a leste, nomeadamente a Ucrânia e a Rússia. Assim, a forma como evoluir o conflito entre estes países poderá condicionar o nível do seu desempenho.

 

Enquadramento Económico

Ser Associado da Câmara de Comércio significa fazer parte de uma instituição que foi pioneira do associativismo em Portugal.

 

Os nossos Associados dispõem do acesso, em exclusividade, a um conjunto de ferramentas facilitadoras da gestão e organização das respectivas empresas.