Vietname - Riscos e Oportunidades

Vietname - Riscos e Oportunidades

O carácter sólido e sustentável do crescimento da economia vietnamita é um dos grandes trunfos que o país apresenta a empresários e investidores internacionais, principalmente tratando-se de um país considerado de baixo risco político. Acresce, que o ritmo de crescimento que tem vindo a ser registado resulta do estádio de desenvolvimento do país, onde as necessidades são múltiplas, onde muito está ainda por fazer depois de anos de conflito e de subdesenvolvimento. O crescimento tem de ser alimentado e uma das suas fontes é necessariamente a abertura ao exterior e ao investimento estrangeiro.

Uma realidade que deverá ganhar nova expressão com o já referido Acordo entre a União Europeia e o Vietname, ao potenciar as relações políticas, económicas, comerciais e de investimento entre as partes. Trata-se de um acordo de livre comércio que irá eliminar 99% dos direitos aduaneiros até então aplicáveis aos bens comercializados entre as partes. Um acordo que começará por pôr fim a 65% dos direitos de importação sobre as exportações comunitárias, estando previsto que os direitos remanescentes sejam paulatinamente eliminados ao logo da próxima década.

Mais ainda, entrando em vigor, este acordo possibilitará o aumento do número de empresas europeias a negociar com, ou até mesmo a estabelecerem-se num país, que não deixará de funcionar como plataforma de acesso a toda a região do Mecom - Vietname, Tailândia, Camboja, Laos, Myanmar e províncias do sul da China - o que significa uma região de mais de 250 milhões de consumidores. A dimensão do mercado vietnamita que, por si só, já era um dos outros trunfos do país, ganha agora um leverage especial em virtude do seu posicionamento estratégico e da sua inserção nesta região.

A par das suas congéneres europeias, também as empresas portuguesas terão neste acordo uma oportunidade para diversificarem os mercados de destino das suas exportações. Entre as áreas de maior expectativa de negócios encontram-se as TICs, o sector electrónico, as telecomunicações, a maquinaria e equipamento de transporte, a indústria têxtil, do ferro e do aço, os produtos químicos e agrícolas. As enormes lacunas ao nível de muitas infra-estruturas (um dos maiores obstáculos a níveis mais elevados de competitividade desta economia) poderão igualmente traduzir-se em oportunidades de investimento.

Naturalmente que este é um mercado que apresenta algumas dificuldades que não poderão deixar de ser consideradas nomeadamente: lacunas ao nível de mão-de-obra local com suficiente formação superior ou técnica; obstáculos no acesso a financiamento; níveis de corrupção ainda considerados elevados; uma certa instabilidade de políticas (factor sempre gerador de incerteza nas decisões de investimento em mercados externos) e especiais necessidades de adaptação a diferenças culturais.

 

Overview

Relações com Portugal e Potencial exportador

Ser Associado da Câmara de Comércio significa fazer parte de uma instituição que foi pioneira do associativismo em Portugal.

 

Os nossos Associados dispõem do acesso, em exclusividade, a um conjunto de ferramentas facilitadoras da gestão e organização das respectivas empresas.