Vietname - Overview

Vietname - o tigre asiático desconhecido

 

Como uma das economias de mais rápido crescimento do sudeste asiático e, até mesmo, entre as economias mundiais, o Vietname surge cada vez mais no radar dos investidores internacionais. Com um mercado estimado em cerca de 97 milhões de consumidores, trata-se de uma das principais economias da ASEAN (Associação das Nações do Sudeste Asiático) e, neste quadro, o segundo maior parceiro comercial da União Europeia (UE), a seguir a Singapura. O acordo entre a UE e o Vietname, uma vez em vigor, terá o potencial para reforçar ainda mais as relações comerciais e de investimento entre as partes. Portugal não poderá ficar de fora.

Mas este é um mercado geográfica e historicamente distante e, como tal, ainda relativamente desconhecido para muitas empresas portuguesas. Um desconhecimento que alimenta, erradamente, uma imagem ainda muito ligada a um passado associado a anos de uma guerra sangrenta e ruinosa e aos seus significados ideológicos. Trata-se, de facto, de um país com uma herança pesada, onde muitas das consequências de anos subdesenvolvimento ainda se fazem sentir. Uma economia onde a pobreza ainda é uma realidade acentuada e na qual, em muitas regiões, os níveis de vida e as mais básicas condições de sobrevivência são muito pouco favoráveis. No entanto, este é também um país que apresenta uma das realidades económicas mais vivas e dinâmicas de toda a Ásia e no quadro mais amplo da economia mundial.

São muitos os mercados, em diferentes geografias, cujas análises fazem sobressair o carácter estável e sustentável das suas economias. Mas no caso do Vietname, os números elevam conclusões desta natureza a outro nível. São três décadas não só de crescimento ininterrupto, como a taxas muitíssimo significativas.

Ao longo da década de 90 o país cresceu a uma média de 7,4%, tendo mesmo chegado a ultrapassar a barreira dos 9% em alguns anos. O país parece depois ter passado incólume à crise das dot.com que muito afectou os mercados asiáticos no início do milénio e a sua economia continuou a crescer a uma média anual superior a 7% (2000-2007). Não se desviando da sua rota de crescimento, o Vietname conseguiu reagir à crise internacional de 2008-2009, crescendo em torno dos 5,5% e, desde então, continua a destacar-se entre as economias emergentes e em desenvolvimento do sudeste asiático, expandindo a uma média anual acima dos 6%.

Com um PIB estimado em 241,434 mil milhões de USD em 2018, o país está ainda longe da dimensão de outras economias da região, mas este valor representou mais um ano de crescimento (6,6%) que continua a colocar o Vietname entre as economias de mais rápido crescimento e de maior potencial de expansão e desenvolvimento da região e do mundo. Uma trajectória que, segundo as previsões dos analistas, deverá manter-se em torno dos mesmos valores nos próximos anos.
Altas taxas de inflação já foram um problema no passado, mas têm sido controladas nos últimos anos, encontrando-se actualmente em níveis já considerados baixos, em torno dos 2,3% (2015-2017), devendo manter-se próximas dos 4% nos próximos cinco anos. O desemprego também tem vindo a diminuir significativamente e desde 2012 que não ultrapassa os 3%, trajectória que deverá também manter-se no futuro.

Os números falam por si e traduzem um ritmo de crescimento comparável ao dos tradicionais “tigres asiáticos”.

Tudo isto foi possível porque o Vietname conseguiu abrir-se aos fluxos internacionais do comércio, do investimento e do turismo, numa aposta que traduz uma viragem de sucesso na história do país. Uma opção estratégica, auxiliada por parceiros internacionais, com o objectivo de reestruturar a economia, tradicionalmente agrícola, privilegiando sectores de alta intensidade de mão-de-obra, a indústria e os serviços.

Hoje, desenvolvem-se novos modos de estar e de negociar, as cidades ganham um novo rosto, multiplicam-se lojas, mercados, restaurantes e hotéis, a vida desenvolve-se a um ritmo frenético e são cada vez mais os sinais que sugerem um real desejo de modernização. Há uma nova atitude no país.

Por tudo isto e muito mais, é fundamental desmistificar a imagem estereotipada de um país que está em verdadeira transformação, onde se multiplicam as oportunidades de crescimento e de negócio. Um país que tem procurado, com enorme sucesso, restabelecer-se, alcançando um novo equilíbrio no plano interno e na cena internacional, afirmando-se crescentemente numa região em que é evidente uma alteração na correlação política de forças entre as várias potências que aí jogam os seus interesses, buscando para si ganhos estratégicos, económicos e em matéria de investimento.

 

FACT BOX - VIETNAME

Localização geográfica: Sudeste asiático, fazendo fronteira com a R.P.China (Norte), o Laos e o Camboja (Oeste). Banhado pelo Golfo de Tonkin (a Este), o Mar do Sul da China (a Sul) e o Golfo da Tailândia (a Sudoeste)
Capital: Hanói
Território: 310.070 Km2 (área terrestre)
População: 97,040 milhões (WFB, CIA est. 2018)
Língua: Vietnamita (oficial). Inglês, cada vez mais encorajado como segunda língua e língua de negócios.
Moeda: Dong Vietnamita (VND)
Ranking Doing Business Report 2019: 69/190 (- 1 posição)
Global Competitiveness Index 2017/2018: 55/137 (+ 5 posições)
Index of Economic Freedom-Heritage 2018: 128/180 (+ 2,2 pontos)
PIB taxa de crescimento real: 6,5% (est. 2019, FMI)

 

Riscos e Oportunidades

Relações com Portugal e Potencial exportador

Ser Associado da Câmara de Comércio significa fazer parte de uma instituição que foi pioneira do associativismo em Portugal.

 

Os nossos Associados dispõem do acesso, em exclusividade, a um conjunto de ferramentas facilitadoras da gestão e organização das respectivas empresas.