Emirados Árabes Unidos - Relações com Portugal e potencial exportador

As trocas comerciais entre Portugal e os EAU são tradicionalmente benéficas para o nosso país, com excedentes comerciais acumulados há mais de uma década. O último ano não foi excepção. Com um volume total de quase 160 milhões de euros, apesar de uma diminuição (-1,9%) face a 2016, as exportações foram, ainda assim, manifestamente superiores às importações que, tendo registado uma muito ligeira subida (0,13%), ficaram-se pelos 17 milhões de euros.

Esta tendência para uma balança comercial superavitária para Portugal é, em parte, explicada pelo ritmo de crescimento das nossas exportações que tem ultrapassado de forma significativa o das importações. Só nos últimos quatro anos, as primeiras subiram a uma média de 13,2% contra uma descida das segundas também na ordem dos 13%. Não será por isso de estranhar que, enquanto parceiro comercial, os EAU tenham maior relevância enquanto mercado de destino das nossas exportações (42º maior cliente), do que enquanto mercado fornecedor (71º lugar), ranking no qual desceu 13 posições nos últimos dez anos. Igualmente importante foi o aumento de operadores económicos a exportar para o país, que de 431 em 2007 passou para mais de 950 em 2017, representando isto um aumento de mais de 120% ao longo da última década: uma evolução reveladora do potencial desde mercado.

Ainda que os dados disponíveis para 2018 (Jan-Jul) apontem para uma possível reversão no ritmo de crescimento das exportações e das importações, a balança comercial mantém-se positiva para o nosso país. Nos primeiros sete meses do ano as exportações somaram 75,4 milhões de euros e as importações apenas 20,6 milhões de euros.

No último as máquinas e aparelhos lideraram as vendas nacionais com destino aos Emirados (13,9%), seguidas pela madeira e cortiça (7,8%), os minerais e minérios (7,3%), plásticos e borrachas (7,1%) e pelos veículos e outros materiais de transporte (6,7%). Mas os dados disponíveis relativos a 2018 (Jan-Jul), mostram uma ligeira alteração nesta estrutura, com os veículos e outros materiais de transporte a descerem significativamente no ranking de produtos mais exportados, e com a chegada ao top 5 dos instrumentos de óptica e precisão, cujas exportações aumentaram quase 30% face a período homólogo de 2017.

Outros produtos que têm evidenciado particular potencial de crescimento, tendo em conta as necessidades de importação dos Emirados, são os metais comuns, as matérias têxteis, alguns móveis e respectivas partes, assentos (mesmo transformáveis em camas) e suas partes, relógios (de pulso, de bolso e semelhantes) e até mesmo pedras de cantaria/construção, cubos, pastilhas etc. podendo aqui encontrar-se nichos com potencial exportador a explorar pelas empresas portuguesas.

 

Overview
Riscos e Oportunidades

Ser Associado da Câmara de Comércio significa fazer parte de uma instituição que foi pioneira do associativismo em Portugal.

 

Os nossos Associados dispõem do acesso, em exclusividade, a um conjunto de ferramentas facilitadoras da gestão e organização das respectivas empresas.