Rússia - Relações com Portugal e oportunidades de negócio

Depois de um declínio muito significativo dos fluxos comerciais entre Portugal e a Rússia entre 2014 e 2015 (média de -20,4%), o último ano foi de clara retoma, registando-se um aumento das trocas na ordem dos 67,4%, num total de cerca de 1,330 mil milhões de euros.
Ao longo da última década, a balança comercial entre os países tem sido negativa para Portugal e o último ano não foi excepção. Para esta situação deficitária muito contribuiu o aumento em mais de 85% das importações (que totalizaram 1,187 mil milhões de euros), face a uma contracção de -9,4% das exportações (que somaram apenas 142,9 milhões de euros).

As dinâmicas nesta relação têm tido reflexo directo no comportamento da Rússia enquanto nosso parceiro comercial, com o país a subir 13 posições no ranking de fornecedores desde 2008 – ocupando actualmente a 9ª posição – e a descer 11 lugares no ranking de clientes onde hoje se posiciona como o 37º maior mercado de destino das nossas exportações.

O primeiro quadrimestre de 2017 veio reforçar sobremaneira o predomínio das importações que, em relação a igual período do ano anterior, registaram uma espectacular subida de 361,6%, contra um aumento de apenas 22% das exportações.

O enorme diferencial no ritmo de crescimento das exportações face às importações (4,1% vs 28,4% nos últimos cinco anos) mostra que muito há ainda por fazer no apoio às empresas portuguesas que exportam para o mercado russo e que actualmente se contam em pouco mais de 500. Ainda assim, um número superior às cerca de 400 do início da década, o que revela uma crescente percepção das champagne-cork-1350404 960 720oportunidades que o mercado russo oferece aos empresários portugueses.

No último ano as exportações com destino à Rússia foram lideradas pelas vendas de madeira e cortiça (21,6%), de calçado (14%), de produtos agrícolas (12,8%), de máquinas e aparelhos (12,6%) e de produtos alimentares (11,4%), uma estrutura que se manteve inalterada nos primeiros quatro meses de 2017. No entanto, uma maior necessidade em termos de importações com capacidade de resposta portuguesa em termos de produção e exportação, faz com que sectores como o das pastas celulósicas e papel, o das peles e couros, dos metais comuns e do vestuário se venham revelando particularmente pujantes, sugerindo a existência nestes sectores de nichos de oportunidade para aumentar o volume das exportações nacionais.

Face ao potencial que o mercado russo representa para as empresas portuguesas, a Câmara de Comércio está a organizar uma missão multissectorial a este mercado, de 22 a 26 de Outubro. Fique a conhecer a programa completo desta missão e reserve já o seu lugar!

 

OVERVIEW
RISCOS E OPORTUNIDADES

Ser Associado da Câmara de Comércio significa fazer parte de uma instituição que foi pioneira do associativismo em Portugal.

 

Os nossos Associados dispõem do acesso, em exclusividade, a um conjunto de ferramentas facilitadoras da gestão e organização das respectivas empresas.