ceta

No passado dia 21 de setembro, a UE e o Canadá celebraram o terceiro aniversário da entrada em vigor provisória do Acordo Económico e Comercial Global (CETA).

O saldo destes três anos é muito positivo, com o comércio bilateral entre a UE e Canadá a registar um aumento de 24% para as mercadorias e 25% para os serviços, em comparação com a situação antes da entrada em vigor deste acordo.

Entre os produtos industriais, as máquinas e os produtos farmacêuticos registaram o maior crescimento em termos de exportações da UE em comparação com 2019, 9,4% e 11,6% respectivamente.

Com a sua aplicação foram desde logo eliminadas 98% das tarifas alfandegárias. Gradualmente, num prazo de 3, de 5, e de 7 anos, desde a entrada em vigor do acordo, atingir-se-ão os 100% para os restantes produtos previstos para a liberalização, podendo as empresas da UE poupar até 590 milhões de euros por ano só em direitos aduaneiros.

O CETA confere igualmente às empresas da UE o melhor acesso aos contratos públicos canadianos jamais oferecido a empresas estrangeiras, não só a nível federal, mas também a nível provincial e municipal.

No contexto do comércio internacional português, não sendo um dos principais parceiros comerciais, o Canadá é, ainda assim, um importante mercado para o comércio internacional português e com potencial de crescimento. Ocupou, em 2019, a 15º posição no ranking de clientes e a 39º no de fornecedores, com quotas de 1% e 0,27% respetivamente.

A balança comercial bilateral com o Canadá, nos últimos cinco anos (2015-2019), foi sempre favorável a Portugal. No que respeita à estrutura das exportações portuguesas, em 2019, por grupos de produtos, destacam-se os veículos e outro material de transporte (49,4% do total), seguidos de produtos alimentares (10,2 %), de matérias têxteis (6,4%), dos plásticos e borracha (5,2%), de metais comuns (4,9%)e do calçado (4,6%) que, no seu conjunto, representaram 76,2% das nossas vendas para este mercado.


Em 2019 exportaram para o Canadá 1.779 empresas portuguesas e as vendas atingiram 600 milhões de euros, o que corresponde a um aumento de 75% em relação a 2018. Determinados grupos de produtos registaram um acentuado crescimento, destacando-se as vendas de veículos e material de transporte com um aumento superior a 1.000%; vestuário (16,5%); matérias têxteis (9,7%); instrumentos de ótica e precisão (6,8%) e produtos agrícolas (6,4 %).

De acordo com os dados mais recentes do Instituto Nacional de Estatística, de janeiro a setembro de 2020, as exportações portuguesas alcançaram 231,5 milhões de euros, o que corresponde a uma quebra de 48%, comparativamente com o período homologo, essencialmente motivada por um decréscimo das vendas de veículos e material de transporte (-96%); de metais comuns (-62%); de instrumentos de ótica e precisão (-57%); de calçado (-34%) e de vestuário (-18%). Em contrapartida, neste mesmo período, destaca-se o crescimento das exportações dos produtos químicos (160%); das máquinas e aparelhos (51%); das pastas celulósicas e papel (39%); das peles e couros (32,1%) e dos produtos agrícolas (6%).

O CETA veio facilitar as exportações para o mercado canadiano e proporcionar importantes oportunidades de negócio. Mais informações poderão ser obtidas através dos seguintes links:

Conheça o Plano de Ações Internacionais da CCIP para 2021, que contempla missões empresariais a mais de 30 mercados!

 

 

Saiba como fazer parte da rede da Câmara de Comércio

 

Torne-se nosso associado

 

Apresentação Câmara de Comércio