CETA

 

O dia 21 de Setembro de 2018 marcou o primeiro aniversário da entrada em vigor provisória do Acordo Económico e Comercial Global (CETA) entre a UE e o Canadá.

O acordo eliminou os direitos aduaneiros sobre 98% dos produtos que a UE comercializa com o Canadá, o que corresponderá a cerca de 590 milhões de euros de poupanças em direitos aduaneiros por ano quando todas as reduções pautais entrarem em vigor. Confere igualmente às empresas da UE o melhor acesso aos contratos públicos canadianos jamais oferecido a empresas estrangeiras, não só a nível federal, mas também a nível provincial e municipal.

Além de suprimir praticamente todos os direitos aduaneiros, o CETA estimulou o ambiente empresarial entre a UE e o Canadá, oferecendo uma segurança jurídica valiosa para as empresas da UE que pretendem exportar. Embora seja demasiado cedo para tirar conclusões sólidas, os resultados comerciais iniciais apontam na direcção certa. As últimas estatísticas disponíveis, da Comissão Europeia, que abrangem o período de Outubro de 2017 a Junho de 2018, indicam que as exportações aumentaram mais de 7% em termos homólogos ao nível da UE.

Determinados sectores apresentam resultados particularmente positivos. As máquinas e aparelhos mecânicos, que correspondem a um quinto das exportações da UE para o Canadá, registaram um aumento de mais de 8%. Os produtos farmacêuticos, que representam cerca de 10% das exportações da UE para o Canadá, registaram uma subida de 10%. Outras exportações da UE registaram também aumentos: os perfumes e cosméticos 11%; vestuário 11%; mobiliário 10% e calçado 8%. (Fonte: Comissão Europeia)

 

Mais informações sobre o CETA poderão ser obtidas através dos seguintes links:

Fichas informativas

Cidades e municípios que exportam para o Canadá

Texto do CETA

 

No contexto do comércio internacional português, o Canadá ocupa a 22º posição no ranking de clientes e a 38º no de fornecedores com quotas de 0,54% e 0,29% respectivamente.

No que respeita à estrutura das exportações portuguesas para o Canadá, em 2017, por grupos de produtos, destacam-se os produtos alimentares (20,6% do total), seguidos das matérias têxteis (12,2%), máquinas e aparelhos (10,3%), calçado (8,8%) e metais comuns (6,2%), que, no seu conjunto, representaram 58,1 % das nossas vendas para este mercado.

Nos 12 meses subsequentes à entra em vigor do CETA as vendas nacionais para o Canadá aumentaram 15,1% e os dados do INE, revelam um maior dinamismo das exportações de certos grupos de produtos, destacando-se um aumento das vendas de plásticos (43%); peles e couros (34,6%) matérias têxteis (24,5%), obras de pedra (28,8%); calçado (18,7%) máquinas e aparelhos (11%).

Há, assim, muito potencial ainda por explorar por parte das empresas portuguesas. Tendo em vista as oportunidades que surgiram com a entrada em vigor do CETA e a maior facilidade de entrada neste mercado a Câmara de Comércio tem já agendada uma missão empresarial ao Canadá que irá decorrer de 4 a 9 de Novembro 2019.

Conheça aqui calendário com as actividades de apoio à internacionalização das empresas.

Saiba como fazer parte da rede da Câmara de Comércio

 

Torne-se nosso associado

 

Apresentação Câmara de Comércio