modelos-internacionalizacao-destaque-site

A exportação é o modelo de internacionalização mais utilizado pelas PME portuguesas

Os resultados de 2017 do estudo InSight confirmam, naturalmente, que a «exportação», em diferentes derivadas, continua a ser o modelo de internacionalização prevalecente utilizado pelas PME portuguesas. De facto, na amostra, menos de 15% têm presença física em mercados internacionais e só 1% têm, nesses mercados, capacidade produtiva.

A ideia da prevalência do que, na 1.ª incursão, designámos de «modelo único», não poderia, evidentemente, ser recriada em apenas um ano! Internacionalização para as PME é quase exclusivamente sinónimo de exportações.

 

Modelos-Internacionalizacao-Insight-2018

 

Num contexto de quase «modelo único» verificam-se, ainda assim, interessantes diferenças na forma como empresas de distintos sectores prosseguem as suas estratégias de internacionalização. São estruturais as diferenças entre empresas industriais, de produto, e empresas prestadoras de serviços.

Em linha com os resultados de 2016, confirma-se a «necessidade» que as empresas de prestação de serviços internacionalizadas (sejam elas, consultoras, empresas de engenharia ou as de assessoria jurídica) têm de assegurar «presença física» nos mercados de destino como forma de garantir a venda e a entrega de bens não transaccionáveis.

 

Modelos-Internacionalizacao-sector-actividade-Insight-2018v2

 

Assim se compreende o facto de ser no sector dos serviços que se observa uma maior diversidade de modelos de internacionalização: 25% dos casos referem o estabelecimento de joint-ventures com parceiros locais; 19% enunciam a abertura de sucursais e/ou filiais; 10% afirmam ter escritórios de representação nos mercados de destino.

No extremo oposto do espectro, pela natureza da sua actividade, a indústria é o sector em que uma maior proporção das empresas afirma exportar directamente para os seus clientes internacionais.

Refira-se como nota importante, o facto de que, no sector agrícola, cujas exportações têm crescido de forma muito expressiva no passado recente, há um imenso peso de empresas que afirmam ser «exportadoras ocasionais», aparentemente ainda não tendo abordagens sistemáticas a esta dimensão do seu negócio.

 

O estudo InSight foi realizado pela Câmara de Comércio em colaboração com o E-Monitor e conta com o patrocínio da CGD, MDS e Yunit Consulting. O segundo inquérito anual do InSight foi executado entre 24 de Outubro e 25 de Novembro de 2017, tendo sido respondido por 761 empresas, das quais 598 internacionalizadas/exportadoras.

Aceda à versão completa do estudo aqui


Outras noticias sobre o estudo

A internacionalização faz parte do ADN das PME Portuguesas

Alavancas que potenciam a internacionalização das PME

Saiba como fazer parte da rede da Câmara de Comércio

 

Torne-se nosso associado

 

Apresentação Câmara de Comércio