“Exportações do cluster do sector automóvel”

A indústria automóvel é um sector verdadeiramente estratégico para Portugal. Esta afirmação, que é consensual, não se baseia apenas no valor das exportações de veículos automóveis e respectivos componentes e no seu peso no conjunto das exportações, mas está também relacionada com o facto de existir um verdadeiro cluster formado pelos diversos sectores da indústria transformadora, que reúne desde empresas do sector metalúrgico e dos moldes, passando pelo fabrico de pneus e outros componentes em borracha e plástico, até aos têxteis, vidros e electrónica.
Responsável por uma percentagem importante do PIB e de uma grande fatia das exportações nacionais, esta indústria concentra um universo de milhares de empresas, que compreende uma percentagem muito significativa dos trabalhadores em Portugal. Distinguem-se nesta indústria dois grandes sectores: o sector da produção automóvel – onde pontuam fábricas tão importantes como a Autoeuropa, a da Peugeot-Citroën, a Mitsubishi Fuso e a Toyota Caetano – e o sector dos componentes automóveis que envolve um crescente e enorme número de pequenas e médias empresas, responsáveis por uma importante parcela da investigação e desenvolvimento em Portugal.

No ano de 2014 foram produzidos em Portugal 162 mil veículos, tendo 96,3% da produção sido destinada à venda ao exterior. O principal destino das vendas do sector neste período foi a Alemanha, seguida da China, de França, do Reino Unido e da Áustria.

Depois de um ano de 2014 onde se registou um crescimento de 4,9% relativamente ao ano anterior, o início do ano de 2015 foi no entanto menos positivo para a produção nacional de veículos automóveis. As últimas estatísticas, relativas ao mês de Março, referem, por um lado, uma diminuição de veículos ligeiros de passageiros e, por outro, um aumento da produção de veículos comerciais e de veículos pesados. Assim, registou-se uma quebra acentuada na produção automóvel de 20,3% em relação ao mesmo mês do ano passado, tendo sido produzidos 13 mil veículos. O fabrico nacional de veículos foi dedicado em 97,3% à exportação neste período.

Os números do ano passado foram também muito positivos para a indústria de componentes para automóveis, tendo-se verificado um crescimento da produção na ordem dos 5,6% face a 2013 e alcançado um volume de negócios de 7,5 mil milhões de euros. A exportação é o destino final de 80% dos componentes para automóveis produzidos em Portugal.

As exportações de componentes para automóvel tiveram como principais mercados de destinos Espanha, Alemanha, França e Reino Unido.
Para o corrente ano de 2015, espera-se uma continuação da tendência de crescimento, com algumas previsões a apontar para percentagens na ordem dos 5 a 7%. A retoma do sector automóvel na Europa assim o faz prever, sendo que, a título de exemplo, o Grupo PSA francês anunciou recentemente a sua intenção de procurar em Portugal fornecedores mais competitivos de componentes automóveis, destinados às suas fábricas de Portugal, Espanha e França.

Trata-se de uma indústria de grande importância para o nosso país, justificada por conjunto relevante de razões como o valor das exportações, o emprego criado, a tecnologia incorporada e a distribuição geográfica de Norte a Sul das empresas envolvidas.

A qualidade da produção do sector automóvel em Portugal tem vindo a crescer significativamente e é hoje já uma referência a nível internacional, com inúmeras oportunidades para as empresas deste sector. Para isso, muito contribui uma mão-de-obra especializada e competitiva e a própria localização geográfica do país, no centro das principais rotas internacionais.

Ser Associado da Câmara de Comércio significa fazer parte de uma instituição que foi pioneira do associativismo em Portugal.

 

Os nossos Associados dispõem do acesso, em exclusividade, a um conjunto de ferramentas facilitadoras da gestão e organização das respectivas empresas.