A Câmara de Comércio convidou, no passado mês de Abril, a Black Scheep Consultancy a partilhar com os associados de que modo devem as empresas identificar os pontos críticos de sucesso num processo de internacionalização. Sendo a internacionalização um caminho obrigatório para as empresas, torna-se fundamental que estas definam uma estratégia para a internacionalização e uma política de mitigação de riscos associados a este processo, minimizando assim o impacto que este possa ter na sua actividade.

 

TEMAS ABORDADOS

  • Modelos de internacionalização: exportação / importação, “project based” e investimento directo estrangeiro (IDE)
  • Especificidades de cada um dos modelos
  • Formas de mitigar os riscos inerentes à internacionalização
  • Desafios internos decorrentes do processo de internacionalização
  • Casos práticos de sucesso e insucesso: antecipar erros e identificar as melhores práticas

artigo a2a blacksheepconsultancy

A internacionalização das empresas é um tema cada vez mais importante no dia-a-dia da nossa economia. Apesar de toda a sua relevância, a internacionalização não é um processo simples, não traz resultados rápidos e não é isento de riscos.

A Black Sheep Consultancy é uma consultora de estratégia e marketing que desenvolve projetos de internacionalização à medida da sua empresa. A nossa equipa multidisciplinar tem experiência comprovada em projetos de internacionalização na América Latina, Europa Ocidental e Europa de Leste. Temos uma abordagem hands-on e trabalhamos como uma equipa interna, procurando entender a sua empresa ao pormenor durante todo processo, para que juntos alcancemos os melhores resultados.

 

Porquê Internacionalizar?

De acordo com o Annual report on European SMEs, 2014/2015 as PME orientadas para as exportações apresentam um crescimento maior, tanto no volume de negócios como na geração de empregos e, são mais inovadoras do que as PME que apenas abastecem os seus mercados domésticos. Isto quer dizer que, as empresas que não se internacionalizarem, irão observar de forma passiva as empresas suas concorrentes a fazê-lo, ficando as últimas mais fortes e as primeiras mais vulneráveis.Logo, a internacionalização hoje não é uma opção, é a única alternativa.

Os incentivos para internacionalizar são vários, do desejo de aceder a novos mercados, à ocupação da capacidade de produção ociosa, ao acesso a matérias-primas mais baratas ou a programas de investimento, cada empresa tem as suas motivações próprias. No entanto, 31% das PME apontam como principal motivo para a internacionalização o acesso a know-how e tecnologia e a diversificação de produtos/serviços, os quais constituem as bases do seu crescimento sustentado a longo prazo.

 

Estratégia de internacionalização

Para as PME exportadoras aumentarem a sua taxa de sucesso é essencial o desenvolvimento de uma estratégia de internacionalização detalhada .

Dependendo do grau de compromisso com o mercado e do grau de investimento e recursos aplicados podemos dividir as estratégias de internacionalização em 3 tipos: exportação de produtos/serviços, “project based” ou IDE (investimento direto no exterior).

A Black Sheep Consultancy desenvolveu metodologias próprias para cada estratégia de internacionalização com o objetivo de apoiar as empresas que se querem internacionalizar. As metodologias desenvolvidas baseiam-se nos seguintes pressupostos: minimizar os custos iniciais, mitigar os riscos potenciais e aumentar a taxa de sucesso.

 

Factores críticos

A empresa é o ponto de partida

Um processo de internacionalização consome muitos recursos humanos e financeiros. É necessário garantir que a empresa tem a capacidade financeira, humana e técnica para um processo de internacionalização. Se a empresa não tem solidez financeira no mercado em que se encontra, um processo de internacionalização pode condená-la no curto prazo.

Conhecimento do mercado

É essencial conhecer com profundidade o mercado onde se quer entrar. Para tal é importante realizar estudo de mercado detalhado e um plano de negócios de pré-viabilidade.

VISITAR antes da tomada de decisão

É necessário sentir o terreno antes da tomada de decisão. Visitar o local, falar com potenciais clientes locais e outras empresas nacionais já instaladas nesse mercado. Há detalhes que, só estando no local e falando com empresas que já passaram pelo mesmo processo, são totalmente apreendidos.

Plano de mitigação de riscos

A identificação clara dos riscos potenciais – económico/financeiros, legais, políticos, socioculturais e ambientais, é parte essencial de uma estratégia de internacionalização. A elaboração de um plano detalhado de mitigação de cada um dos riscos identificados, antes do arranque da operação, contribui grandemente para o sucesso da mesma.

Prudência no arranque

Recomenda-se que as empresas que se querem internacionalizar comecem com uma pequena operação e projetos piloto, para aferir potenciais situações que tenham escapado à avaliação inicial.

Marketing Internacional

E não esquecer o MARKETING – comunicar para o mercado local é essencial!

 

ARTIGOS A2A KNOW-HOW E BOAS PRÁTICAS

PRÓXIMOS EVENTOS A2A KNOW-HOW 

Ser Associado da Câmara de Comércio significa fazer parte de uma instituição que foi pioneira do associativismo em Portugal.

 

Os nossos Associados dispõem do acesso, em exclusividade, a um conjunto de ferramentas facilitadoras da gestão e organização das respectivas empresas.